Mais Osaka e Kyoto

Continuando a série de viagens que eu fiz em Setembro, eu fui para Osaka e Kyoto e dessa vez vi algumas outras coisas diferentes que das outras vezes que eu fui.

Em Osaka, existe um passe mágico que eu não sei o nome, preço e nem onde se compra (porque eu ganhei ele), mas ele deixa você andar de trem e metrô à vontade durante um dia, além de poder entrar de graça em diversas atrações como a roda gigante do aquário, passeios de barcos, museus, etc. Eu sei que ele é aproximadamente ¥2000, o que é bem em conta de contar o preço de tudo separadamente.

Um dos lugares que eu fui foi o Museum of Housing and Living de Osaka (Osaka Kurashi Konjaku-kan ou 大阪くらし今昔館), de graça com o passe, que é um museu que conta com réplicas de casas e de como era a vida em Osaka antigamente.

Osaka Kurashi Konjaku-kan

Osaka Kurashi Konjaku-kan

Eu fui também para o Tsutenkaku (通天閣), a antiga torre mais alta de Osaka e em um passeio em Dotonbori (道頓堀), ambos de graça com o passe, e fui no Chuo Kokaido (大阪中央公会堂), que é de graça por natureza.

Tsutenkaku

Tsutenkaku

Passeio de barco em Dotonbori

Passeio de barco em Dotonbori

Osaka Chuo Kokaido

Osaka Chuo Kokaido

Por fim, também passei em Kyoto. Além de ir novamente no Fushimi Inari Taisha, que eu estou votando como o meu ponto turístico favorito dos que eu visitei no Japão até agora, eu fui no Toei Kyoto Studio Park, um parque temático usado como set de gravação de filmes antigos japoneses. A entrada é ¥2200, e é bem interessante para entusiastas de casas antigas japonesas como eu – para quem não faz tanta questão, as atrações talvez sejam meio infantis.

Toei Kyoto Studio Park

Toei Kyoto Studio Park

Anúncios

Oita, Kumamoto e Saga

Esses dias, tive que alguns afazeres em Kyushu e, aproveitando a viagem, visitei as províncias de Oita, Kumamoto e Saga. Para quem tem visto de estudante, existe o JR Kyushu Foreign Student Pass (JR Kyushu Ryugakusei Pass ou JR九州留学生パス), que por ¥7200 é possível viajar por toda a metade norte da ilha por três dias sem limite. É só entrar com ele na catraca da JR e subir nos trens sem reserva de assento. Se quiser assento reservado, deve-se pagar um extra à parte.

Usando o passe, eu peguei o Sonic da estação de Hakata em Fukuoka para Beppu (別府市) na província de Oita (大分県), cidade famosa por suas águas termais. Como tive pouco tempo, peguei um ônibus a partir da estação de Beppu para o chamado Inferno de Beppu (別府の地獄), que são um conjunto de 8 fontes de água aquecidas naturalmente – entenda-se água borbulhante, na maioria não dá para entrar. Um passe para entrar em todas as fontes custa cerca de ¥2000.

Inferno de Beppu

Inferno de Beppu

Continuando a viagem, fui de trem-bala para a cidade de Kumamoto (熊本市) na província de mesmo nome. Visitei o Castelo de Kumamoto (熊本城), o parque Suizenji (水前寺公園) e a casa de uma família nobre antiga chamada Hosokawa Gyobutei (旧細川刑部邸). A entrada para o castelo e para a casa dava cerca de ¥640 (se não me engano), e o parque ¥400.

Castelo de Kumamoto

Castelo de Kumamoto

Suizenji

Suizenji

Hosokawa Gyobutei

Hosokawa Gyobutei

Por fim, como ainda tive um tempo livre, fui para a cidade de Karatsu (唐津市) na província de Saga (佐賀県) em um lugar chamado Niji no Matsubara (虹ノ松原), que é uma floresta de pinheiros japoneses do lado do mar. É um lugar bem legal, mas acho que só vale mesmo a pena se você tiver tempo sobrando e for perto de algum lugar que você tenha que ir. De qualquer forma, as fotos ficaram boas.

Niji no Matsubara

Niji no Matsubara

Kanazawa

Kanazawa (金沢) é a capital da província de Ishikawa (石川県) e é famosa pela preservação da cultural tradicional japonesa, pelo artesanato e pela culinária. Ela fica fora da rota principal do shinkansen, então muitos turistas estrangeiros não chegam a conhecer a cidade. Para ir para lá, o jeito mais prático é pegar avião até o aeroporto de Komatsu (小松空港), e de lá pegar um ônibus expresso até a estação de Kanazawa (40 minutos, ¥1100).

As principais atrações de Kanazawa estão todas perto uma das outras; dá para ir andando, mas é melhor pegar o Kanazawa Loop Bus, cuja viagem individual é ¥200 e o bilhete diário é ¥500. Existem outras opções de passeio por perto, como o Kaga Onsen (加賀温泉), e outras não tão perto como Takayama (高山) e Shirakawago (白川郷).

Eu peguei o voo saindo lá pelas 10:05 da manhã de Haneda, chegando às 11:05 em Komatsu e 11:55 em Kanazawa. Andei até o mercado Omicho (Omicho Ichiba ou 近江町市場, a 15 minutos andando da estação) para almoçar. Por sinal, a especialidade de Kanazawa são os frutos do mar.

Depois, peguei o Loop Bus em direção ao distrito de Nishi Chaya (にし茶屋街), onde antigamente existiam casas de chá com geishas. O Loop Bus normalmente anda só em sentido horário, mas nos fins de semana de verão existe uma linha que faz o sentido anti-horário também. Chegando no Nishi Chaya, eu fui para o museu Nishi Chaya Shiryo (西茶屋資料博物館, entrada de graça), que tem uma exposição de como eram os quartos antigamente no segundo andar.

Nishi Chaya

Nishi Chaya

Em seguida, eu fui para o Myoryuji (妙立寺), um templo com diversas armadilhas que lembram até coisa de ninja. Esse templo também é conhecido como Ninjadera (忍者寺) por causa disso, mas eles insistem que o templo não tem nenhuma relação com ninja. A entrada é ¥800 e o tour demora 40 minutos (em japonês). Infelizmente, não é permitido tirar fotos do interior, então eu não tenho fotos para postar.

Myoryuji

Myoryuji

Em seguida, fui para a região de Nagamachi (a cerca de 10 minutos andando do Myoryuji), onde existem diversas casas antigas de samurai. Fui primeiro para o museu Shinise Kinenkan, uma antiga casa de mercantes, e depois para o Nomura-ke, uma antiga casa de samurais.

Shinise Kinenkan Museum

Shinise Kinenkan Museum

Nomura-ke

Nomura-ke

Como a maior parte das atrações fecha às 17:00, voltei para o hotel de ônibus. No dia seguinte de manhã, fui para o distrito de Higashi Chaya (ひがし茶屋街), que também é um antigo distrito de gueishas, mas maior que o Nishi Chaya. Lá, fui na casa Shima (entrada por ¥400, ou ¥350 se apresentar o bilhete diário do Loop Bus), que possui uma exposição também. Além disso, por mais ¥700, você pode tomar chá verde e comer um doce japonês no jardim dos fundos.

Shima, em Higashi Chaya

Shima, em Higashi Chaya

Depois, fui de ônibus para o parque Kenrokuen (兼六園, entrada ¥300), conhecido como um dos melhores jardins japoneses do país, e para o Kaga Yuzen Traditional Industry Center para experimentar vestir um kimono feito na região (¥2000 para tirar fotos dentro do prédio, ou ¥4500 para andar com ele até o Kenrokuen), antes indo almoçar no Sakura-tei, um restaurante da região que é meio caro mas vale todo iene pago.

IMG_0245

Kenrokuen

Almoço no Sakura-tei

Almoço no Sakura-tei

Kimono de Kaga Yuzen

Kimono de Kaga Yuzen

Por fim, fui a pé para o 21st Century Contemporary Art Museum, antes tomando um sorvete com folha de ouro que fica do lado do museu. Dei uma olhada também no muse de Noh e na loja de artesanato Hirosaka, que ficam um do lado do outro, embora não tenha olhado muito a fundo por já estar bem cansado. Depois disso, voltei para a estação, comprei omiyages como sempre, e voltei para Tóquio.

Okinawa II: Resort

Na segunda parte da nossa viagem para Okinawa, fomos para o Southern Beach Hotel & Resort (サザンビーチホテル&リゾート), na cidade de Itoman (糸満). O hotel fica a uns 20 minutos de táxi ao sul da estação Akamine (赤嶺駅) do Yuirail, saindo cerca de ¥1700.

Hotel na cidade de Itoman

Este hotel, embora não tenha muita coisa ao redor, possui tudo o que você precisa dentro dele: loja de conveniência, restaurante, piscina e atividades marinhas na praia em frente, a Bibi Beach Itoman (美々ビーチ糸満). Nós fizemos banana board e snorkeling, que sai ¥5000 – mas que vale muito a pena! Dá para nadar por entre os peixes no mar transparent esverdeado de Okinawa!

Banana boat e snorkel no mar em Okinawa!

Infelizmente, não tenho foto do snorkeling, que obviamente minha câmera não é à prova d’água.

Okinawa I: Ilha de Okinawa

Finalmente a viagem que eu queria fazer desde que eu cheguei ao Japão: Okinawa, no extremo sul do Japão. Pegamos um pacote com a HIS, loja no prédio da Lumine em Ikebukuro, cujo atendimento foi um dos melhores – se não o melhor – que eu já tive em uma agência de turismo, e saímos de Haneda em direção ao aeroporto de Naha (那覇), capital da província de Okinawa que fica na ilha principal do arquipélago (沖縄本島). Do aeroporto, fomos de Yuirail (ゆいレール) até o hotel. O Yuirail anda somente no centro de Naha, e o preço da passagem varia entre ¥220 e ¥290, com o passe diário por ¥600 e o passe de dois dias por ¥1000.

Como o transporte público em Okinawa é quase inexistente, pegamos um tour de ônibus no primeiro dia junto do pacote. A primeira parada do tour foi Kourijima (古宇利島), uma ilha ligada à ilha principal por uma ponte extensa passando pelo transparente esverdeado.

Kourijima

Em seguida, fomos para o aquário Churaumi (美ら海水族館), que fica dentro do parque nacional Ocean Expo e é um dos poucos aquários do mundo que tem tubarões-baleia. Vimos também o show de golfinhos no Oki-chan Gekijo (オキちゃん劇場).

Aquário principal com o tubarão-baleia no Churaumi

Tartaruga no Churaumi

Show de golfinhos no Okichan Gekijo

A próxima parada foi a fábrica de doces Okashi Goten (御菓子御殿), um lugar excelente para comprar omiyages e comer amostras grátis.

Okashi Goten

Por fim, fomos para o Ryukyu Mura (琉球村), um parque temático que retrata a Okinawa tradicional.

Entrada do Ryukyu Mura

Casa tradicional no Ryukyu Mura

De volta para Naha, andamos do nosso hotel, que ficava na estação Makishi (牧志駅), pela Kokusai Doori (国際通り), avenida central da cidade. Nos arredores da Kokusai Doori ficam vielas de compras como a Heiwa Doori (平和通り) e o mercado de Makishi (Makishi Daiichi Kousetsu Ichiba ou 牧志第一公設市場), onde dá para comprar diversos tipos de peixes diferentes.

Pegando o Yuirail, na ponta leste fica o castelo de Shuri (首里城), patrimônio histórico da humanidade. A entrada é ¥800, e o castelo fica a uns 15 minutos da estação Shuri.

Shuri-jo

E para todos aqueles que gostam defazer uma viagem gastronômica também, alguns pratos e bebidas famosas de Okinawa são o Okinawa soba (ソーキすば), tako rice (たこライス), goya chanpuru (ゴーヤーチャンプル), rafuti (ラフティー), suco de shiikwaasaa (シークァーサー), e sashimi e sushi de peixes locais. E quem sabe vocês não encontram coragem para tomar coisas feitos com Habu (uma cobra de Okinawa)?!