Hina Matsuri

No dia 3 de março, acontece no Japão o Hina Matsuri (ひなまつり ou 雛祭り, mas em geral utilizado em hiragana mesmo), o Dia das Meninas. O primeiro Hina Matsuri de uma menina é chamado Hatsuzekku (初節句). Esta é uma comemoração em nome da felicidade e saúde das meninas, sendo seu ícone o altar de bonecas chamado Hinadan (雛壇).

Outros costumes do Hina Matsuri são as comidas e bebidas. Em geral, é costumeiro comer o Chirashizushi (散らし寿司), o Hina Arare (雛あられ) e o Hishimochi (菱餅), e beber Shirozake (白酒), um sake doce sem álcool.

Hinadan

O Hinadan é composto de sete andares, cada um deles com as respectivas bonecas e adornos.

  1. Na primeira plataforma (a mais alta), estão o imperador (Odaira-sama ou 御内裏様) e a imperatriz (Ohina-sama ou 御雛様). Eles estão na frente de um biombo dourado (byoubu ou 屏風), e ao lado dos dois postes (bonbori ou 雪洞) com as lanternas de papel ou seda (hibukuro ou 火袋). Entre as duas bonecas ainda estão um adorno conhecido como sanbonkazari (三方飾), que consiste de dois vasos de ramos artificiais de pêssego;
  2. Na segunda plataforma, estão as três damas da corte (sannin kanjo ou 三人官女), que estão segurando utensílios de sake. Entre elas estão os takatsuki (高坏), mesinhas nas quais se colocam os doces da época (menos o hishimochi);
  3. Na terceira plataforma, estão os músicos (gonin bayashi ou 五人囃子). São cinco, da esquerda para a direita: taiko (太鼓), um tambor de mão grande (ootsuzumi ou 大鼓), um tambor de mão pequeno (kotsuzumi ou 小鼓), uma flauta (fue ou 笛), e o cantor (utaikata ou 謡い方) segurando um leque (sensu ou 扇子);
  4. Na quarta plataforma, estão os ministros da esquerda (sadaijin ou 左大臣) e da direita (udaijin ou 右大臣). O posicionamento é relativo ao Hinadan, ou seja, o ministro da direita é visto à esquerda de quem está de frente para o Hinadan. Para facilitar, o Sadaijin é o velho e o Udaijin é o jovem. Entre eles, estão mesas kakebanzen (掛盤膳) e hishidai (菱台), estas últimas com o hishimochi em cima;
  5. Do lado da quinta plataforma, estão uma árvore de mandarina (ukon no tachibana ou 右近の橘) e cerejeira (sakon no sakura ou 左近の桜). Na plataforma em si, estão três ajudantes, protetores do imperador e da imperatriz. São eles: o bebum choroso (naki jougo ou 泣き上戸), o bebum irritado (okori jougo ou 怒り上戸) e o bebum alegre (warai jougo ou 笑い上戸);
  6. Sexta e sétima plataformas: uma série de ornamentos, como mobílias, ferramentas e carruagens.

Hinadan

Música

A música tradicional para o Hina Matsuri é chamada “Ureshii Hina Matsuri” (嬉しい雛まつり).

あかりをつけましょ ぼんぼりに
Vamos acender a luz na lanterna
お花をあげましょ 桃の花
Vamos preparar as flores de pêssego
五人ばやしの 笛太鼓(ふえたいこ)
A flauta e o taiko dos cinco músicas da corte
今日はたのしい ひな祭り
Hoje é um Hina Matsuri divertido

お内裏様(だいりさま)と おひな様
O imperador e a imperatriz
二人ならんで すまし顔(がお)
Os dois se alinham com compostura
お嫁(よめ)にいらした 姉(ねえ)様に
A minha irmã mais velha que se casou
よく似(に)た官女(かんじょ)の 白い顔
Sua face alva parece com as das damas da corte

金のびょうぶに うつる灯(ひ)を
A luz que reflete no biombo dourado
かすかにゆする 春の風
O vento de primavera que o balança levemente
すこし白酒(しろざけ) めされたか
Será que tomou um pouco de sake branco?
あかいお顔の 右大臣(うだいじん)
A face vermelha do Ministro da Direita

着物をきかえて 帯(おび)しめて
Trocar para o kimono, fechar o obi
今日はわたしも はれ姿(すがた)
Hoje eu também estarei nas minhas melhores roupas
春のやよいの このよき日
Este dia especial de primavera de março
なによりうれしい ひな祭り
O Hina Matsuri mais alegre que tudo

Anúncios

Pink Cow Debut

Assim como no Showa no Hi em abril e basicamente todo mês, hoje teve o Japanese Lounge Night no Pink Cow, em Shibuya. E dessa vez foi meu debut!

Eu toquei (ou melhor, tentei tocar, porque o nervosismo dificultou um pouco as coisas!) duas músicas. A primeira, Kyushu Tankou Bushi (九州炭坑節), é uma música criada em Fukuoka e que muitos que frequentam eventos da colônia japonesa no Brasil devem conhecer. Ela é a música tocada nos finais de undokais e dos Tanabata Matsuris para lá e para cá, e é aquela que tem a dança do “cava, cava / joga para trás, joga para trás / etc”.

A segunda foi decidida na hora – afinal, minha sensei queria que queria que eu tocasse mais uma. Então a escolhida foi a Kubota Bushi (久保田節), que foi a última que eu treinei em aula e a que eu melhor lembrava.

Bem, o resultado final foi que eu errei muito a Tanko Bushi! Estava bem nervoso, afinal de contas essa é a primeira vez que eu toco solo em um palco! Eu já tinha tocado para talvez umas 200 ou 300 pessoas, como no Sanshin no Hi da Associação Okinawa do Brasil e no Natsu Matsuri da Asebex, mas como nessas ocasiões tinha mais pessoas tocando junto, quase não dava para ouvir se eu errasse uma ou outra vez. Já a segunda música, como eu não precisava cantar junto, foi um pouco melhor – só um erro, e não foi tão visível assim…

Mesmo errando e passando nervosismo, foi uma experiência boa! E um dos meus objetivos agora é conseguir tocar sem errar. Mas para isso, eu preciso treinar bastante e tocar mais vezes na frente de audiências! Por isso, 頑張ります!

Agradecimentos para a minha sensei pela oportunidade e para o Pink Cow por receber o evento. Agradecimentos especiais para a Tiali, Adriana, Maili e Fátima que foram lá me prestigiar, e para a Elis que ficou torcendo de longe! 本当にありがとう、みんな!

Não tão básico assim do Shamisen: Sawari

Depois de falar um pouco do básico do shamisen, vou falar de uma técnica um pouco mais avançada que minha sensei disse que demora uns bons 10 anos para pegar ela. Essa técnica é chamada de “sawari” (さわり).

Primeiramente, perto das alavanquinhas para afinar o shamisen, você verá que a segunda e a terceira corda apoiam em um pedaço de metal, mas a primeira não. Ela é apoiada dentro de um risco carvado na madeira e quase encosta no começo do pescoço (está vendo que tem tipo de um vale logo ao lado da pecinha de metal?).

Coloque sua corda passando dentro do risco e afine o shamisen. Toque. Ela fez um barulho ressonante? (Não, eu não sei explicar como é esse barulho.)

Se sim, o primeiro passo está feito! Se não, fique apertando a corda, que a corda deve estar razoavelmente maleável naquela região para que ela faça o barulho certo. Na verdade, quando ela ressoar, a corda deve relar naquele vale que eu falei aí em cima. Caso ela não faça o barulho ressonante de jeito nenhum, leve para alguém que faça shamisens e peça para consertar isso.

Ok, agora afine a segunda corda. Se ela estiver perfeitamente afinada, quando você tocar ela, você vai ouvir as outras cordas vibrando também. Da mesma forma, afine a terceira. Aí vem o legal: todas as notas (absolutamente todas as notas) que você tocar, se você acertar a posição exata, as outras cordas também vão vibrar e vai sair um som mais rico! Mas para isso, a afinação tem que estar perfeita e você tem que acertar o ponto certo com precisão milimétrica.

Isso é a técnica sawari. Fácil, não?

Básico do Shamisen

Como vocês devem saber (ou não), eu estou fazendo aula de nagauta shamisen com a Fujimoto Kumiya-sensei (藤本久美弥先生) da Escola Fujimoto (藤本会) de shamisen, aprendendo mais músicas de min’you e matsuri no shitamachi (下町) de Ueno. Já fazendo uma pequena propaganda para a minha sensei, eu estou gostando muito das aulas!

Então, agora vamos ao básico do shamisen:

O shamisen e seus acessórios

Além do shamisen, você vai precisar de uma série de outros acessórios para ele (claro que na aula a sensei tem tudo):

  • Bachi (撥): A palheta com a qual você toca as cordas;
  • Hiza-ate (膝あて): Um tapetinho de plástico que você coloca em sua coxa para que o shamisen não escorregue dela quando você estiver tocando. Também conhecido como hiza-gum (膝ゴム);
  • Yubi-kake ou yubi-suri (指かけ): Um pedaço de pano que ajuda você a deslizar seu dedo pelo braço do shamisen;
  • Choushibue (調子笛): O afinador;
  • As cordas, sendo a primeira (一の糸 ou ichi-no-ito) a mais grossa e a última (三の糸 ou san-no-ito) a mais fina;
  • Tsuyabukin (つや布巾): Paninho para limpar seu shamisen depois do uso.

A afinação

A afinação é um dos pontos mais interessantes do shamisen, e algo que causa um tremendo ponto de interrogação em quem está acostumado com instrumentos ocidentais como o violão.

Como o shamisen foi feito para cantar junto, e as pessoas têm alcances diferentes, no shamisen é possível você afinal de acordo com a nota que a pessoa consegue cantar. A afinação mais usada é a Honchoushi (本調子) com a primeira corda em Dó, ou seja, as afinações ficam em C-F-C. Mas se a pessoa tiver voz mais aguda, ela pode afinar D-G-D, por exemplo.

Além do Honchoushi, existem outros esquemas de afinal que são auto-explicativos caso você entenda os kanjis. Por exemplo, o ni-agari (二上がり) significa que a segunda corda deve ser aumentada em um tom, e o san-sagari (三下がり) indica que a terceira deve ser diminuída em um tom.

Partitura

Existem claro tipos de partitura para shamisen:

  • A primeira é igual à ocidental, mas aí você perde a flexibilidade de afinar o shamisen em qualquer tom, uma vez que ela diz a nota que você tem que tocar e não a posição;
  • A segunda é parecido ao kunkunshi (工工四) do sanshin, no qual ele diz a posição que você deve colocar o seu dedo – só que em kanji;
  • A terceira é similar à anterior, com a diferença que ao invés de kanjis temos números (essa é que a Fujimoto-kai usa);
  • A quarta e última é a chamada “kuchi-jamisen” (口三味線). Quem sabe ler os kanjis sabe o que espera. Basicamente, a partitura é o sensei cantar a música e você se virar para decorá-la.

Duas técnicas básicas

A primeira delas é chamada de “sukui” (すくい) e é quando você toca com seu bachi fazendo o movimento para cima. Ela é indica com um “ス” na partitura. A outra é a “hajiku” (弾く), indicada com um “ハ”, que é quando você toca a corda com algum dedo da mão esquerda (supondo que você segure o bachi com o direita).