Chichibu

Chichibu (秩父) é uma região montanhosa localizada no extremo oeste de Saitama, próxima à divisa com a província de Nagano. É connhecida por ser um dos destinos para quem quer escapar de Tóquio por um dia ou um fim de semana. Para chegar lá, o melhor jeito é pela linha Seibu Ikebukuro, pegando o Limited Express Red Arrow em direção a Seibu Chichibu (西武秩父駅), que custa ¥750 a passagem (que dá para pagar com o Pasmo ou Suica) mais ¥620 o assento do Limited Express (que precisa do bilhete especial e só é colocado na catraca do Red Arrow). A viagem demora cerca de uma hora e meia, e em feriados talvez seja melhor você deixar reservado o bilhete antes para não ter que ficar esperando algumas horas pelo primeiro trem com assentos vagos.

Embora dessa vez eu não tenha ido para Nagatoro, uma região que dá para descer um rio de barco, deu para aproveitar bastante o dia. Começamos indo para o Chichibu Matsuri Kaikan (秩父まつり会館), o museu de um dos três maiores festivais com mikoshi do Japão, o Chichibu Yomatsuri (秩父夜祭). O museu fica a dez minutos andando da estação Seibu Chichibu, e logo do lado da estação Chichibu (秩父駅) da linha Chichibu (秩父本線).

Dentro do museu do Chichibu Yomatsuri

Em seguida, fomos para o parque Hitsujiyama Kouen (羊山公園), que fica entre as estações Seibu Chichibu e Yokose (横瀬駅), a 15 minutos a pé de cada uma. Este parque é conhecido pelo jardim de shibazakura (芝桜), uma espécie de sakura rasteira que floresce de meado de Abril até o começo de Maio.

Shibazakura no Hitsujiyama Kouen

Shibazakura

E aqueles que sabem um pouco mais de japonês devem estar se perguntando onde estão as ovelhas, afinal de contas “Hitsujiyama” significa literalmente “montanha das ovelhas”. Não que tivessem muitas ovelhas, mas tinham algumas sim:

Ovelhas!

Bônus: Para as pessoas que gostam de anime, o Ano Hana (あの花, nome completo: Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai ou あの日見た花の名前を僕達はまだ知らない) se passa em Chichibu, sendo que diversos pontos da região são mostrados no anime, incluindo a ponte de Chichibu (秩父橋), o templo Chichibu Jinja (秩父神社), a estação Seibu Chichibu, a rua paralela à linha Chichibu atrás do museu do festival, e até uma parte do Hitsujiyama Kouen. Da mesma forma, em todos os cantos da cidade você poderá ver referências para o anime, até no design das máquinas de refrigerante e nos omiyages.

Anúncios

Okinawa II: Resort

Na segunda parte da nossa viagem para Okinawa, fomos para o Southern Beach Hotel & Resort (サザンビーチホテル&リゾート), na cidade de Itoman (糸満). O hotel fica a uns 20 minutos de táxi ao sul da estação Akamine (赤嶺駅) do Yuirail, saindo cerca de ¥1700.

Hotel na cidade de Itoman

Este hotel, embora não tenha muita coisa ao redor, possui tudo o que você precisa dentro dele: loja de conveniência, restaurante, piscina e atividades marinhas na praia em frente, a Bibi Beach Itoman (美々ビーチ糸満). Nós fizemos banana board e snorkeling, que sai ¥5000 – mas que vale muito a pena! Dá para nadar por entre os peixes no mar transparent esverdeado de Okinawa!

Banana boat e snorkel no mar em Okinawa!

Infelizmente, não tenho foto do snorkeling, que obviamente minha câmera não é à prova d’água.

Okinawa I: Ilha de Okinawa

Finalmente a viagem que eu queria fazer desde que eu cheguei ao Japão: Okinawa, no extremo sul do Japão. Pegamos um pacote com a HIS, loja no prédio da Lumine em Ikebukuro, cujo atendimento foi um dos melhores – se não o melhor – que eu já tive em uma agência de turismo, e saímos de Haneda em direção ao aeroporto de Naha (那覇), capital da província de Okinawa que fica na ilha principal do arquipélago (沖縄本島). Do aeroporto, fomos de Yuirail (ゆいレール) até o hotel. O Yuirail anda somente no centro de Naha, e o preço da passagem varia entre ¥220 e ¥290, com o passe diário por ¥600 e o passe de dois dias por ¥1000.

Como o transporte público em Okinawa é quase inexistente, pegamos um tour de ônibus no primeiro dia junto do pacote. A primeira parada do tour foi Kourijima (古宇利島), uma ilha ligada à ilha principal por uma ponte extensa passando pelo transparente esverdeado.

Kourijima

Em seguida, fomos para o aquário Churaumi (美ら海水族館), que fica dentro do parque nacional Ocean Expo e é um dos poucos aquários do mundo que tem tubarões-baleia. Vimos também o show de golfinhos no Oki-chan Gekijo (オキちゃん劇場).

Aquário principal com o tubarão-baleia no Churaumi

Tartaruga no Churaumi

Show de golfinhos no Okichan Gekijo

A próxima parada foi a fábrica de doces Okashi Goten (御菓子御殿), um lugar excelente para comprar omiyages e comer amostras grátis.

Okashi Goten

Por fim, fomos para o Ryukyu Mura (琉球村), um parque temático que retrata a Okinawa tradicional.

Entrada do Ryukyu Mura

Casa tradicional no Ryukyu Mura

De volta para Naha, andamos do nosso hotel, que ficava na estação Makishi (牧志駅), pela Kokusai Doori (国際通り), avenida central da cidade. Nos arredores da Kokusai Doori ficam vielas de compras como a Heiwa Doori (平和通り) e o mercado de Makishi (Makishi Daiichi Kousetsu Ichiba ou 牧志第一公設市場), onde dá para comprar diversos tipos de peixes diferentes.

Pegando o Yuirail, na ponta leste fica o castelo de Shuri (首里城), patrimônio histórico da humanidade. A entrada é ¥800, e o castelo fica a uns 15 minutos da estação Shuri.

Shuri-jo

E para todos aqueles que gostam defazer uma viagem gastronômica também, alguns pratos e bebidas famosas de Okinawa são o Okinawa soba (ソーキすば), tako rice (たこライス), goya chanpuru (ゴーヤーチャンプル), rafuti (ラフティー), suco de shiikwaasaa (シークァーサー), e sashimi e sushi de peixes locais. E quem sabe vocês não encontram coragem para tomar coisas feitos com Habu (uma cobra de Okinawa)?!

Co-orientação no doutorado

A partir deste mês, a minha orientadora de doutorado mudou de universidade para a Universidade de Kyushu (九州大学), em Fukuoka. Assim, eu voltei para o meu orientador do mestrado – que por sinal vai se aposentar daqui a exatamente um ano. Logo, eu terei de mudar de orientador novamente para o um ano e meio restante do PhD.

Pelo menos, a minha antiga orientadora continuará me orientando mesmo à distância – aliás, me co-orientando, porque meu orientador oficial deve ser necessariamente da Universidade de Tóquio. Este sistema de co-orientação no Japão se chama Shidou Kenkyuu Itaku (研究指導委託), por sinal.

Mais capítulos desta novela daqui a um ano, quando a busca por um orientador recomeçar.