Renovação de visto e permissão para trabalho

Os bolsistas do Monbukagakusho recebem vistos de validade de dois anos – para corfirmar a data de validade do seu visto, ver o landing permission (jouriku kyoka ou 上陸許可), que é um carimbo do lado da página de visto japonês no passaporte.

A partir de dois meses antes da data término dessa permissão, se você quiser extender o visto, você deve ir para algum dos escritórios do Immigration Bureau (Nyuukoku Kanrikyoku ou 入国管理局). Da vez passada quando eu fui tirar o re-entry, eu fui para o escritório em Shinagawa. Dessa vez, eu fui para o escritório em Saitama, que fica a 10 minutos da estação Yono-Honmachi (与野本町駅) da linha JR Saikyo (埼京線). Se for usar um mapa, use esse e não o do Google Maps, que na data que eu escrevi esse post, eles ainda não atualizaram o endereço.

Para a renovação do visto (Zairyuu Kikan Koushin Shinsei ou 在留期間更新申請), você vai precisar dos documentos abaixo. Atente que essas dicas valem apenas para quem tem visto “college student”.

  • Formulários (note que parte do formulário deve ser preenchida e carimbada pela secretaria da faculdade)
  • Passaporte e gaikokujin touroku
  • Atestado de Matrícula (zaigaku shoumeisho ou 在学証明書)
  • Histórico Escolar (seiseki shoumeisho ou 成績証明書), caso você seja mestrando ou doutorando, ou certificado que diz o conteúdo da sua pesquisa (kenkyuu naiyou shoumeisho ou 研究内容証明書)
  • Certificado que diz que você deixou de ser estudante de pesquisa (kenkyuusei taigaku shoumeisho ou 研究生退学証明書), caso no período do visto você tenha ingressado no mestrado ou doutorado
  • Certificado que diz que você é bolsista (shougakukin shoumeisho ou 奨学金証明書)

O Atestado de Matrícula e Histórico Escolar podem ser impressos nas máquinas presentes no prédio número 8 de Engenharia (para os alunos da Graduate School of Engineering ou Graduate School of Information Science and Technology). O restante deve ser retirado no balcão do Escritório de Estudantes Internacionais, no primeiro andar do prédio 8.

Quando você for retirar o seu passaporte (deve demorar cerca de um mês), você terá que pagar ¥4.000 em revenue stamps. Depois disso, você deve ir até a prefeitura de onde você mora para atualizar o seu gaikokujin touroku e o cadastro do kokumin kenkou hoken (seguro-saúde nacional), e ir para a secretaria do seu departamento na sua faculdade com uma cópia do seu gaikokujin touroku atualizado – se não, você não recebe bolsa!

Maiores informações na página do Immigration Bureau e na do Escritório de Estudantes Internacionais da Engenharia da Universidade de Tóquio.

* * * * *

Já para a permissão de trabalho (o nome oficial é Permission to Engage in Activity other than that permitted under the Status of Residence Previously Granted, também conhecido como Shikakugai Katsudou Kyoka Shinsei ou 資格外活動許可申請), você precisará dos seguintes documentos:

  • Formulário
  • Passaporte, gaikokujin touroku e cartão da universidade

Você pode dar entrada na permissão de trabalho junto da renovação de visto. Para a permissão de trabalho, não é necessário pagar nada. Fique atento que a carga horária máxima de trabalho semanal é 28 horas, entre outras observações. Depois que você receber a sua permissão de trabalho, você deve entregar no seu departamento cópias dos dois lados do seu gaikokujin touroku e do carimbo de permissão de trabalho.

Maiores informações na página do Immigration Bureau.

Imposto de isento em Shiki

Para quem mora em Shiki (Saitama), aqui vai um guia de como declarar o imposto municipal/provincial, como eu fiz ano passado. Note que este não é o imposto de renda, até porque bolsa de estudo não é considerado renda. O da sua cidade pode ser parecido, então se for ajudar, continue lendo.

Primeiro, pegue o formulário (Shiken Minzei Shinkokusho ou 市県民税申告書) na prefeitura ou em algum posto da prefeitura (a cidade de Shiki possui um posto perto da estação de Yanasegawa, entre o Pair Crescent e o Pair Mall). Eles podem ter mandado por correio também – nesse caso, espera-se que o formulário chegue antes da metade de fevereiro.

Depois, preencha os seus dados pessoais: lugar onde morava em 1 de janeiro deste ano, lugar onde mora atualmente (escrever “同上” se for igual ao de cima), telefone, ocupação, nome, furigana do seu nome, assinatura ou carimbo e se você é casado (em “配偶者の有無”).

Se você for casado e seu/sua cônjuge não tiver renda, procure onde estiver escrito “配偶者の氏名” e escreva o nome, o aniversário embaixo e o número zero em “配偶者の合計取得金額” (haiguusha no goukei shutoku kingaku).

Na parte de trás, deve ter um quadro escrito “収入がなかったとき” (shuunyuu ga nakatta toki). Circule “扶養・援助” (fuyou/enjo), que significa que alguém está ajudando os seus custos, e escolhe “学生” para falar que você é estudante. Escreva quem está bancando as suas despesas (no meu caso é o 文部科学省) e o nome da sua universidade, faculdade e o nome do curso.

Depois disso, eu entreguei no segundo andar da prefeitura do dia 16/2 ao 15/3, das 9:00 às 11:30 e das 13:00 às 16:00. Levar também uma cópia do seu cartão de estudante e os comprovantes de pagamento do seguro-saúde (embora eles não tenham me pedido isso).

Maiores informações na página da prefeitura.

Bons modos em situações de trabalho no Japão

Eu vi as informações em um programa de TV ontem, então aqui vão algumas dicas para boas maneiras para lidar com japoneses em situações de trabalho:

  • Reverência (ojigi ou お辞儀):
    • Manter o contato visual com o cliente (ou seja, não olhar para o chão)
    • Não curvar a coluna!
    • Sorrir!
    • Só começar a abaixar a cabeça depois do “arigatou” e antes do “gozaimasu”
    • Não falar “arigatou gozaimashita”, e sim “arigatou gozaimasu” (usar o passado nesse caso parece que quer cortar a relação, ou que quer que o cliente volte para casa)
    • Homens: Começar o ojigi com as mãos com os dedos juntos (inclusive o polegar) no lado do corpo, e terminar com a mão na frente da coxa
    • Mulheres: Fazer o ojigi com as mãos sempre à frente do corpo (a mão direita segurando o polegar da esquerda), e uma perna na frente da outra
  • Entrar e sair da sala de uma sala; mostrar ao cliente onde sentar:
    • Ao abrir a porta, não virar de costas para o cliente. Obviamente, deixar o cliente entrar primeiro falando “douzo ohairi kudasaimase” (どうぞお入り下さいませ)
    • Falar ao cliente para sentar no assento mais ao fundo fica “ichiban oku ni okakeni natte kudasaimase” (一番奥にお掛けになって下さいませ). Não use o verbo “suwaru” (座る). Em geral, os assentos mais do fundo (ou seja, mais longes da porta) são para pessoas mais importantes
    • Não aponte com o dedo para onde ele deve se sentar. Mostre com a mão aberta e todos os dedos juntos
    • Não precisa nem dizer que você não deve encostar no cliente. Obviamente, se a outra pessoa perceber que você é estrangeiro e estender a mão, cumprimente com um aperto de mãos (mas aqui nesse mini-guia estou assumindo que os dois lados são japoneses)
    • Para sair da sala, não dê as costas ao cliente, e fale “shitsurei itashimasu” (失礼致します)
  • Servir chá:
    • Para entrar na sala, bata 3 vezes na porta (como disseram no programa, 2 batidas é para o banheiro!) e diga “shitsurei itashimasu”
    • Quando for falar, coloque a travessa do chá para o lado do corpo, para que não tenha perigo de cair saliva onde não deve
    • Sirva o cliente pelo lado esquerdo dele, colocando o chá perto da mão direita dele
    • Tome cuidado com que braço você for usar para servir o chá, para que não fique batendo na perna do cliente
    • Em geral, você deve primeiro colocar a travessa em uma mesa (se for uma mesa de centro, ajoelhe-se!). Em seguida, colocar o descanso de copo na mesa, o copo, servir o chá (se ele já não estiver no copo) e só aí empurrar o chá para perto do cliente
  • Cartão de visitas (meishi ou 名刺):
    • Entregue o seu meishi antes do cliente entregar o dele, e apresente-se com “hajimemashite, watakushi wa … de gozaimasu” (初めまして、わたくしは…でございます)
    • Entregue o seu meishi e pegue o do cliente sempre com as duas mãos
    • Ao receber o meishi, leia o nome completo do cliente (colocando “sama” no final) para indicar que você vai lembrar o nome inteiro dele
    • Nunca coloque o meishi do cliente abaixo da linha da sua cintura quando estiver com ele em mãos
    • Deixe o meishi do cliente em cima da mesa para conversar (não fique segurando o tempo inteiro)
  • Outras dicas:
    • Não fale “douzo” (どうぞ) ou “doumo” (どうも) sem falar o resto da frase. Fale a frase completa, como em “douzo okakeni natte kudasaimase”
    • Sempre sorrir!
    • Não curvar a coluna nunca. Se precisar, dobre as pernas, mas não curve a coluna!

Uma dica bem importante: não se espera de estrangeiros que eles saibam tudo isso, então pode ficar tranquilo! Como eu li em um livro uma vez: é só não cometer um gafe muito que vá ofender a outra pessoa! Então, não tente parecer japonês – às vezes é bom deixar bem claro que você é estrangeiro!