Halloween

Halloween nada tem a ver com a cultura japonesa e nem a brasileira – mas em ambos os países, muitas pessoas “celebram” a data. Aqui no Japão, é possível ver enfeites de abóbora para todos os lados, morceguinhos e afins. Algumas pessoas (talvez em sua maioria estrangeiros ou pessoas que têm bastante contato com culturas estrangeiras) aproveitam a data para se divertir em festas à fantasia.

E é uma dessas festas que ganhou uma fama relativamente grande – mas não necessariamente uma fama boa. Trata-se da festa à fantasia que estrangeiros (e japoneses também, por que não?) realizam na noite do sábado anterior ao Halloween, em um local peculiar: a Yamanote, a linha de trem mais importante de Tóquio. O ponto de encontro? A plataforma 13 de Shinjuku, obviamente.

Mas atentem ao fato que essa festa vem ganhando repercussão negativa também, pela baderna causada. Claro, existem pessoas que veem o vagão cheio de gente fantasiada, sorri e tira uma foto; existem pessoas que ficam assustadas; existem pessoas que acham uma falta de respeito e enchem o 2ch (lê-se 二チャンネル ou ni-channel, e é o maior fórum japonês e do mundo) de comentários raivosos.

E viva o Dia das Bruxas!

Observação: Eu nunca fui para esta festa, então não apoio e nem desapoio a ideia.

[Atualizado em 20/12/2010]:

Ao que parece, desde o ano passado, a festa de Halloween da Yamanote foi proibida pela polícia…

Mercados brasileiros

Eu já usei três mercados brasileiros online, o Bom Preço, o BrasMarket e o Tele-Amigos (o melhor para comprar carnes, pelo menos quando eu vi), então quem precisar, aí estão os sites. A média do preço da entrega é cerca de ¥1.200 a ¥1.400 (não lembro exatamente), então o melhor é dividir o frete com alguém, se possível.

Além disso, existe o Kyoudai, que fica no sexto andar do prédio do Consulado Brasileiro, e um em Sakado (linha Tobu Tojo, estação Sakado), perto do Capim Dourado, a churrascaria brasileira que fomos no aniversário da Maili do ano passado.

Redes sociais japonesas

Assim como somente brasileiros e indianos usam o Orkut, os japoneses possuem uma esfera social própria dentro da Internet. Aqui vão alguns sites para aqueles que estão interessados no que os japoneses fazem online em seu tempo livre:

  • Mixi (ミクシィ): A rede social de maior sucesso no Japão, com quase todos os perfis falsos (entenda-se sem mostrar nome, foto ou nenhuma informação pessoal). Existe também o Gree, mas nunca usei e não sei muito a respeito;
  • Twitter (ツイッター): Sim , o Twitter é amplamente utilizado no Japão. Tanto que já salvou um rapaz no banheiro da Yodobashi em Shinjuku – ele tuitou que estava sem papel, e 10 minutos depois, uma boa alma trouxe um rolo para ele;
  • Nico Nico Douga (ニコニコ動画): O Youtube japonês que permite que os comentários sejam exibidos na tela;
  • 2ch (2ちゃんねる): O maior fórum do Japão e do mundo, onde o anonimato é a ordem;
  • Facebook: Para os japoneses que querem manter contato com estrangeiros, vem se popularizando no Japão ultimamente.

O que apresentar no Rinko

Vocês já devem ter ouvido bastante sobre o Rinko (posts aqui e aqui) de mim aqui no blog. Agora eu vou dar uma ajudinha para aqueles que entraram como mestrando no Department of Creative Informatics da Graduate School of Information Science and Technology.

Observação importante: Estas informações não devem valer para outros departamentos, faculdades ou universidade, mas serve para dar uma ideia geral do que é esperado de você. O melhor é perguntar para algum sempai do seu laboratório.

  • Primeiro ano de mestrado, primeira apresentação: Em geral, fazer uma auto-apresentação rápida (falar de onde veio, formado em qual faculdade, etc.). Também falar sobre seu trabalho de conclusão de curso da graduação, e um survey de assuntos relevantes para a pesquisa que você que você realizaráç
  • M1, segunda apresentação: Falar sobre o tema da sua pesquisa – qual problema abordado, trabalhos relacionados, etc.;
  • M2, primeira apresentação: Falar sobre o método proposto, ou seja, como você resolverá o problema da apresentação anterior;
  • M2, segunda apresentação: Exibir resultados do seu método.

Lembrando que é bom você dar uma prévia da sua última apresentação para quem assiste lembrar o contexto. Além disso, depois da segunda apresentação de M2, existe a defesa no final do curso também, mas eu escreverei mais quando chegar nessa etapa.

Morar no Japão é…

Um post do blog Nihongo Narae dando um apanhado geral do que é morar no Japão para um brasileiro. Bem legal!

E eu concordo com quase tudo… Mas eu não confio muito na previsão do tempo daqui não (item 38) e eu sempre vejo pessoas atravessando em ruas desertas mesmo com o semáforo de pedestres vermelho (item 16) – principalmente se eu já atravessei no vermelho antes! De resto, ele mostra algumas boas verdades da vida nipônica!