クラスで絶対習わない日本語

Aproveitando a onda da Copa do Mundo, vou escrever um pouco sobre o japonês utilizado em futebol. Para aqueles que jogam Winning Eleven com a narração em japonês, a narração da TV japonesa é igualzinha, então dá até para treinar seu japonês jogando vídeo-game!

Vamos para as palavras básicas:

  • Uma seleção de um país é chamado de (nome do país) + daihyou. Ex.: Nippon Daihyou (日本代表);
  • Um jogador é chamado de (nome do jogador) + senshu. Ex.: Nakamura senshu (中村選手);
  • Um técnico é chamado de (nome do técnico) + kantoku. Ex.: Okada kantoku (岡田監督);
  • Uma partida contra um certo time é chamado de (nome de um time) + tai + (nome do outro time) + sen. Ex.: Brasil tai Portugal sen (ブラジル対ポルトガル戦). Pode-se falar também ブラジル、ポルトガル戦, ou também 対ポルトガル戦 (se no contexto já estiver presente que é o Brasil que vai jogar), ou só ポルトガル戦;
  • Uma partida é chamada shiai (試合). Uma partida decisiva é chamada kessen (決戦).

O bom do japonês de futebol é que a maior parte dos termos vêem da transliteração do inglês. Por exemplo, as posições são:

  • Keeper (キーパー): Goleiro;
  • Defender (ディフェンダー): Defensores. Podem ser zagueiros (centerback ou センターフォワード), laterais (sideback ou サイドバック) ou líberos (sweeper ou スウィーパー);
  • Midfielder (ミッドフィールダー): Meio-campista. Podem ser meia-atacante (kougekiteki midfielder ou 攻撃的ミッドフィールダー, mais popularmente chamado de center forward ou センターフォワード), armador (central midfielder ou セントラルミッドフィールダー) e volante (shubiteki midfielder ou 守備的ミッドフィールダー, conhecido também como center back ou センターバック);
  • Forward (フォワード): Atacante. Podem ser centroavante (center forward ou センターフォワード), segundo atacante (second striker ou セカンドストライカー), pontas (wing ou ウイング);
  • As formações, como 4-4-2, são chamadas falando os números em japonês. Nesse caso, seria “yon-yon-ni”.

Para um campeonato, temos:

  • Fase de grupos (Group stage ou グループステージ), mata-mata (knockout stage ou ノックアウトステージ);
  • Oitavas-de-final (Best juuroku ou ベスト16), quartas-de-final (Best eight ou ベスト8, também chamado de quarter finals ou クォーターファイナル, ou ainda junjun-kesshou ou 準々決勝), semi-finais (semi-final ou セミファイナル, também chamado de jun-kesshou ou 準決勝), disputa de terceiro lugar (san-i ketteisen ou 3位決定戦) e a final (final ou ファイナル, chamado de kesshou-sen ou 決勝戦);
  • A Copa do Mundo é chamada de World Cup (ワールドカップ) mesmo, mas em geral é escrito W杯 (ao pé da letra, ダブルハイ, mas ninguém fala assim);
  • Um campeonato se chama taikai (大会) ou tournament (トーナメント). Amistoso é shinzenjiai (親善試合);
  • Campeão (yuushou ou 優勝), vice-campeão (jun-yuushou ou 準優勝), terceiro lugar (san-i ou 3位);
  • Contagem de gols: ten (点). Ex.: itten (一点), niten (二点), etc.

Lances de jogo e outras expressões:

  • Gol (goal ou ゴール), passe (pass ou パス), chute (shoot ou シュート), drible (drible ou ドリブル), lançamento (long ball ou ロングボール), cruzamento (cross ou クロス, também chamado de centering ou センタリング), cabeceio (heading shoot ou ヘディングシュート), contra-ataque (counter ou カウンター), efeito (curve ou カーブ), trave (post ou ポスト) e sobra (kobore dama ou こぼれ球);
  • Marcar jogador (marking ou マーキング, quando vai em cima da bola é checking ou チェッキング), carrinho (sliding tackle ou スライディングタックル), cobertura (covering ou カバーリング) e tirar a bola da área (clear ou クリア);
  • Bola parada (set play ou セットプレー), falta (foul ou フォール no caso do lance que causa, e a cobrança é chamada de free kick ou フリーキック), escanteio (corner kick ou コーナーキック), penalti (penalty kick ou ペナルティーキック), barreira (kabe ou 壁), impedimento (offside ou オフサイド) e início de partida (kick off ou キックオフ);
  • Substituição (koutai ou 交代), banco de reservas (bench ou ベンチ) e reserva (yobisenshu ou 予備選手);
  • Primeiro tempo (zen’han ou 前半), segundo tempo (kouhan ou 後半), acréscimos (loss time ou ロスタイム), tempo regulamentar (full time ou フルタイム), prorrogação (enchousen ou 延長戦), decisão nos penalties (piikei-sen ou PK戦), silver goal (シルバーゴール), golden goal (ゴールデンゴール), término (shuuryou ou 終了) e placar (score ou スコア);
  • Juiz (shushin ou 主審), bandeirinha (fukushin ou 副審), cartão amarelo e vermelho (yellow e red card, ou イエローカード e レッドカード);
  • Torcedores (supporter ou サポーター). Torcer por alguém é “ouen suru” (応援する).

E o famoso “Uhhh!” é dito “oshii!” (惜しい) em japonês.

Esqueci de alguma coisa?

Certificados emitidos pela universidade

No decorrer de sua vida de bolsista, você pode precisar dos mais diversos tipos de documentos – alguns deles emitidos pela universidade. Aqui vai o nome de alguns documentos em inglês e japonês para facilitar a comunicação e onde pedir para emitirem (caso você seja aluno de mestrado ou doutorado da Graduate School of Engineering ou Graduate School of Information Science and Technology da Universidade de Tóquio):

  • Histórico Escolar (School Transcript, Seiseki Shoumeisho ou 成績証明書): Na máquina na entrada do prédio 8 de Engenharia (térreo);
  • Atestado de Matrícula (Certificate of Enrollment, Zaigaku Shoumeisho ou 在学証明書): Idem ao anterior;
  • Certificado de Bolsista do Monbukagakusho (Certificate of MEXT Scholarship Student, Monbukagakusho Shougakukin Jukyuusha Shoumeisho ou 文部科学省奨学金受給者証明書): No Office of International Students, térreo do prédio 8 de Engenharia. Este certificado consta que você é aluno matriculado na Universidade de Tóquio, a sua Graduate School, o seu departamento, o seu curso, que você é bolsista e o valor da sua bolsa.

Todos os certificados podem ser tirados tanto em japonês quanto em inglês. Eu tirei esse último documento e foi de graça, então eu presumo que os documentos tirados usando a máquina também sejam. Aliás, eu nunca precisei usar a máquina, mas sei que ela tem menu em inglês também, e que a sua senha pessoal pode ser mudada nela.

Para requerer um documento, você vai precisar da sua carteirinha de estudante, e de preencher um documento com seus dados e com o motivo da requisição e onde você submeterá o certificado. Você pode requerer por correio também (para maiores informações, ver o link no final da página). Se for pessoalmente, o documento sai na hora!

Os estudantes de pesquisa devem se dirigir para o International Student Service Team, no térreo do prédio 2 de Administração (onde fica o International Center). Para um certificado que indique os termos da bolsa (como o período de bolsa), dirigir-se para lá também.

Mais informações:

Procurando apartamentos no Japão

Para aqueles que estão procurando apartamentos no Japão, vou postar algumas dicas. Elas não são experiências próprias minhas, uma vez que eu consegui um apartamento com ajuda de conhecidos meus, mas é basicamente uma reprodução de um guia que a Universidade de Tóquio tem para os estrangeiros, com só um pequeno toque meu. Aqui vai então.

Onde procurar

A primeira pergunta legal a se perguntar para você mesmo é a área que você quer morar. Cada local tem seu preço (dentro da Yamanote, por exemplo, é absurdamente mais caro que em locais mais afastados), então é bom você começar pensando na vizinhança.

Ao escolher da vizinhança, uma boa ideia é procurar em panfletos de imobiliárias locais, pelo menos para ver o preço. Você pode também em sites como o Suumo, Yahoo Japan Real Estate ou o Leo Palace (conhecido por ser uma boa pedida para quem procura apartamentos pré-mobiliados). Outro bom lugar é ver o Co-op da sua universidade – na Universidade de Tóquio, pelo menos, eles têm serviço de apoio para encontrar apartamentos para alunos.

Claro, existem os dormitórios de faculdades ou os da JASSO. Para maiores informações, consulte os respectivos sites (o link da JASSO é para o escritório de Kantou).

Situação das Moradias em Tóquio

De acordo com o livrinho, a média que os estudantes japoneses pagam de alguel é ¥60.000 por mês em Tóquio e províncias adjacentes. No centro de Tóquio (dentro dos 23 tokubetsu-ku) é mais caro.

O que procurar em um apartamento

  1. Preço do alguel (incluindo custos de água, luz, gás e Internet): Isso depende do seu orçamento;
  2. Tamanho: Os quartos são medidos por metros quadrados, número de tatamis (um tatami tem cerca de 1m x 1.80m);
  3. Layout do quarto: No Japão, existe o seguinte sistema de letras:
    • 1 Room: Um quarto
    • 1K: Um quarto e uma cozinha
    • 1DK: Um quarto, uma sala de jantar e uma cozinha (“Dining” e “Kitchen”; podem ser juntos)
    • 1LDK: Um quarto, uma sala de estar, sala de jantar e cozinha (tem o “Living” também)
    • 2LDK: Dois quartos e o restante
  4. Distância do seu local de estudo/trabalho: Calcular o preço da passagem (através de sites como o Yahoo Japan Transit e o Hyperdia, que mostram o preço do Teikiken normal) e o tempo de viagem;
  5. A estrutura do prédio e a idade: Bons para saber o quão resistente a um terremoto o seu prédio é, se ele esquenta ou esfria muito, entre outros. Eu não tenho muita ideia dos tipos de prédios que existem, então não vou me aventurar a escrever aqui
  6. Distância da estação: Coloque na sua conta também o preço possível de estacionamento de bicicleta, etc.
  7. Direção da janela: As janelas para o sul indicam apartamentos mais frios no verão e mais quentes no inverno;
  8. Números de quartos vizinhos, ou se seu quarto fica na quina do prédio: São apartamentos mais cobiçados por terem mais janelas e menos vizinhos;
  9. Tipo de fogão: Leve em consideração número de bocas, e se é a gás ou é elétrico (lógico, isso se você cozinhar);
  10. “Bunjo Chintai” (分譲賃貸): Apartamentos inicialmente feitos para venda, possuem melhor estrutura que os feitos inicialmente para aluguel.

Custo de mudança

Prepare seu bolso: o custo para mudar é caro. Muito caro. Espere de 2 a 4 vezes o preço do primeiro aluguel como dinheiro de depósito (que será devolvido quando você se mudar para fora caso não haja nenhum reparo a ser feito, o chamado shikikin ou 敷金) e o dinheiro “da chave” (que é como um “agradecimento” para quem está alocando o apartamento, chamado de reikin ou 礼金). Este último não é devolvido.

Às vezes, você terá que pagar para a imobiliária uma comissão, o tesuuryou (手数料), que custa em geral um mês de aluguel + 5% de imposto, e um seguro da propriedade (cerca de ¥20.000).

Se você for usar caminhão de mudança, prepare-se para outra facada: uma mudança custa entre ¥30.000 e ¥60.000 se utilizar empresas como a Nittsuu ou a Akabou (existem também empresas brasileiras no Japão). Você pode enviar também por takkyubin: por ambas a Sagawa e a Kuroneko, o envio de uma caixa de 160 cm (altura + largura + profundidade, e no máximo 30 kg) sai por ¥1.790 cada dentro de Kantou.

Prepare-se também para comprar móveis, caso seu apartamento não seja mobiliado.

Tempo de mudança

Estima-se que demora até um mês para achar um apartamento, até uma semana para conseguir aprovação do dono, e duas semanas para o contrato. Não esqueça de cancelar o contrato de onde você mora antes, mudar a Internet, etc. com antecedência.

Em geral, você não pode reservar um quarto de graça. Mas se a questão for algumas semanas, pode-se negociar isso.

Fiador

O fiador (hoshounin ou 保証人) é a pessoa que vai bancar caso você dê calote. Imprescindível para qualquer transação imobiliária. É possível conseguir que a universidade seja sua fiadora (depende da universidade, claro), ou pagar para uma empresa ser. Mas fique atento que existem lugares que eles só aceitam pessoas físicas.

No caso da Universidade de Tóquio, vá para o Office of International Student Support Group, no primeiro andar do International Center.

Existem casos de seu fiador ser rejeitado. Por exemplo, se a pessoa estiver aposentada, ou não tem renda, ou vive de pensão, ou acabou de começar a trabalhar, ou não fala japonês, ou não vive no Japão, ou não é uma empresa registrada no Japão.

[Atualizado em 25/06/2010]:

A palavra “garantidor” como escrita anteriormente até existe no português, mas é usado no sentido de “fundo garantidor”, e não nesse caso. Agradecimentos à Maili por me lembrar da palavra “fiador” (que eu tinha esquecido completamente) e colaborar com o não assassinato da Língua Portuguesa.

Burocracia

Em geral, os documentos necessários são: cópia do Gaikokujin Touroku, comprovante de renda, cópia do cartão da universidade e comprovante de renda do seu garantidor.

Observar no contrato (ou pedir para explicarem para você) sobre cláusulas de término de contrato antes do tempo (quanto tempo antes você deve avisar e você terá que pagar algo pela quebra do contrato), e se você terá que pagar para renovar o contrato.

O que não se deve fazer

  1. Barulho;
  2. Morar com namorado(a) em geral não é opção no Japão, e os japoneses em geral não alugam apartamento caso os dois não estejam casados;
  3. Morar gente escondida: Isso é ilegal. Apenas os nomes que constam no contrato podem morar no local;
  4. Deixar de pagar a conta: Não faça isso, especialmente se você estiver voltando para o país de origem e quiser dar calote. NÃO FAÇA ISSO!
  5. Não prestar atenção na coleta de lixo: Lixos queimáveis nos dias de lixos queimáveis, lixos não-queimáveis nos dias certos, garrafas PET’s, latas e vidros também. E se tiver lixo grande, ligar para a prefeitura ir buscar (e pagar o preço devido).

Outras observações

  1. Olhar o estado de manutenção das áreas comuns do prédio;
  2. Verificar como fica o trem em horário de pico;
  3. Verificar nível de barulho, de pessoas andando por perto, se trem vai atrapalhar seu sono, se tem coisas por perto (como supermercado, lojas de conveniência, banco e correio), disponibilidade para estacionar sua bicicleta, proximidade a hospitais, etc.;
  4. Quantidade de luz, segurança (câmeras de vigilância, etc), elevadores, número e locação de tomadas, conexão de Internet (se existe fibra óptica, por exemplo), etc.
  5. Se você for mudar fora da temporada de mudança, é possível tentar negociar o preço do aluguel, afinal muitas vezes é mais vantajoso para a empresa alugar por um valor menor do que esperar até a próxima temporada.
  6. Infelizmente, existem pessoas de má índole que tentam ficar com o dinheiro do seu depósito. Antes de você se mudar, tire fotos de tudo que você julgar meio estragado: se o tatami estiver gasto, se o parede estiver descascando, se o o vaso sanitário tiver rachadura, etc. E claro, fale com o dono antes de se mudar para deixar claro que já estava lá quando você chegou.

Discriminação contra estrangeiros

Eu diria que é uma discriminação justificada.

Eu li esse artigo do Japan Today que fala sobre o problema. Pelo menos, eu diria parte dele (que eu não sabia por sinal). Trata do simples motivo que se o agente da imobiliária ou o dono não deixam bem claro o conteúdo do contrato para o inquilino, este pode processá-lo e ganhar facilmente depois. E caso o inquilino seja estrangeiro que fale mal japonês e o dono fale mal inglês, aí com certeza teremos problemas.

Mas acho que não é só isso. Eu pelo menos conheci uma coreana pós-doutoranda que precisou o orientador dela (professor da Universidade de Tóquio) ir praticamente implorar para o dono para conseguir liberação.

Existem sim alguns outros fatores mais agravantes. Alguns estrangeiros levam a família inteira para morar no apartamento (entenda-se mais de 10 pessoas, e todas fora do contrato, obviamente), ou também voltam para o país sem pagar as contas devidas e deixando lixos grandes para trás (problema muito grande com brasileiros dekaseguis depois da crise econômica), sem contar outros inúmeros problemas que fazem os donos dos apartamentos verem com maus olhos os estrangeiros.

De qualquer forma, qualquer seja o motivo, não importa se você é aluno pós-graduando filho do imperador de não sei aonde – sendo estrangeiro, eles preferem evitar problema. E resumindo: Cerca de apenas um terço dos apartamentos sendo locatados são disponíveis para estrangeiros.

Então por favor, se for procurar seu apartamentozinho no Japão, contribua não sujando a imagem dos estrangeiros no mercado imobiliário.

Certificado de Assuntos Registrados

Quando você é registrado no Japão, você ganha o seu Alien Registration Card (Gaikokujin Touroku Shoumeisho ou 外国人登録証明書), que funciona como o RG no Brasil.

Além desse papel, você também pode pegar um certificado que funcionaria como uma mistura de atestado de registro e comprovante de residência: o chamado Certificate on Registered Matters em inglês, conhecido por aqui pelo nome curto de Gaikokujin Touroku Genpyou Kisaijikou Shoumeisho (外国人登録原票記載事項証明書). Para os moradores de Setagaya, é aquela folhinha azul que você deve ter entregado para a faculdade, para o banco na hora de abrir uma conta e para a sua operadora de celular.

Agora a boa notícia para aqueles que querem tirar isso: vocês não precisam ir até a prefeitura de Setagaya (pegando o ônibus 24 a partir de Seijo-Gakuenmae). É possível ir nos Escritórios de Administração dos Distritos (Sougou Shisho ou 総合支所). O mais perto, do distrito de Kinuta, fica em Seijo mesmo, do lado da estação! É lá também que se pode resolver coisas relacionadas a imposto de renda, seguro-saúde nacional, etc.

Seguindo o mapa, entre no prédio do escritório. O lado direito é o escritório da prefeitura, o esquerdo é outra coisa. Para tirar o Certificate on Registered Matters, vá para o balcão 12 da Seção de Registro de Família (Koseki Gakari ou 戸籍係). Na mesinha na frente do balcão, vai ter uma folhinha para requerer o certificado. Preencha, entregue no balcão, espere 5 minutos, pague ¥300 por cópia e pronto! Só lembrando que você não pode fazer o registro do Gaikokujin Touroku lá (tem que ser na prefeitura), pode apenas requisitar o certificado mesmo.

Mais informações:

Conversor para Kansai-ben

Para aqueles que não familiarizados, Kansai-ben (関西弁) é como é chamado o sotaque das pessoas provenientes da região de Kansai, que engloba Osaka e Kyoto, entre outras províncias. Eu pessoalmente não sou o maior falador de Kansai-ben que existe – aliás, eu não sei quase nada, mas quem quiser brincar um pouco, existe um conversor online para Kansai-ben!

A “tradução” não é perfeita (vide artigo do JapanNewbie.com), mas dá para brincar bastante! Quem quiser aprender um pouco mais, esse mesmo site também tem algumas lições do sotaque.