Shamisen no Museu Edo-Tokyo

Hoje teve uma demonstração de shamisen e koto. Chamada de “Tokyo Shamisen Tokyo Koto Tenji Seisaku Jitsuenkai” (東京三味線東京琴展示製作実演会), ela aconteceu no Museu Edo-Tokyo (Edo Tokyo Hakubutsukan ou 江戸東京博物館), situado perto da estação de Ryougoku (両国駅) das linhas JR Sobu e da Toei Oedo do metrô.

Museu Edo-Tokyo

Museu Edo-Tokyo

Primeiramente, havia na recepção uma exposição com alguns shamisens e kotos (quem quisesse, podia tirar uma palhinha), e algumas informações legais. Inclusive, hoje eu vi um shamisen de pele de canguru! Para aqueles que não sabem, os normais são feitos com pele de cachorro ou gato, sendo as de gato com som mais refinado mas mais baixo. O som do canguru está entre o som do gato e do cachorro (como eles mesmos disseram, “カンガルーは犬と猫の間です”).

Do que o shamisen é feito, e de onde vem o material

Do que o shamisen é feito, e de onde vem o material

Pele de canguru

Pele de canguru

Uma caixa de shamisen de um mestre!

Uma caixa de shamisen de um mestre!

Depois de uns discursos dos representantes de entidades como a Nagauta Kyoukai (長唄協会, ou algo como Associação da Música Nagauta) e da Nihon Sankyoku Kyoukai (日本三曲協会, ou algo como Associação Japonesa de Shamisen, Koto e Shakuhachi), teve uma apresentação de como o shamisen e o koto são fabricados.

Fabricação artesanal de shamisen

Fabricação artesanal de shamisen

Em seguida, alguns alunos de uma escola ginasial de Oota-ku tocaram koto, e de um primário de Edogawa-ku tocaram shamisen. Aliás, era muito bonitinho ver algumas das crianças que mal alcançavam a extremidade mais distante do braço do shamisen tocando!

Estudantes de primário tocando shamisen

Estudantes de primário tocando shamisen

E por fim, dois profissionais tocaram. O Den no Kai (伝の会) toca um estilo inovador de nagauta, com a força do tsugaru-jamisen. Muito interessante! Embaixo vai um vídeo deles (não de hoje, que eu não filmei a performance deles).

Eles também sortearam diversos prêmios, inclusive um shamisen de pele de canguru e um koto! Mas eu infelizmente não ganhei nada.

Preparando para o Noryoku Shiken

Para aqueles que não sabem, o Nihongo Noryoku Shiken (日本語能力試験), ou Prova de Proficiência em Língua Japonesa ou Japanese Language Proficiency Test ou JLPT, é como o próprio nome já diz, uma prova de nível para a língua japonesa.

Ela é composta de quatro níveis, sendo o 4-kyuu (四級) o mais baixo e o 1-kyuu (一級) o mais alto. O 4-kyuu é para iniciantes (cai 103 kanjis, 728 palavras e requer cerca de 150 horas de estudo total), o 3-kyuu é para o básico (284 kanjis, 1409 palavras e 300 horas de estudo), o 2-kyuu é para intermediário (1023 kanjis, 5035 palavras e 600 horas de estudo) e o 1-kyuu é para avançado (1926 kanjis, 8009 palavras e 900 horas). Alguém com 1-kyuu tem nível similar a um estudante colegial japonês.

No final deste ano eu pretendo prestar o 2-kyuu. Para isso, comprei livros e mais livros, e o manual!

[Atualizado em 30/09/2009]:

Para quem quiser saber, os livros que eu comprei foram da coleção Kanzen Master (完全マスター). Para o 2-kyuu, eu gostei em particular do livro de Bunpou (文法, gramática) e não gostei do de Goi (語彙, vocabulário). Os livros de kanji e dokkai (読解, leitura) são legais também!

Conhecendo Tokyo: Tokyo Tower

A Tokyo Tower (東京タワー), localizada em Minato-ku, é um dos símbolos de Tóquio. Construída em 1958, tem 333 metros de altura, sendo a torre mais alta do Japão (a segunda mais alta é a Fukuoka Tower).

A torre é divida na FootTown, um prédio de quatro andares na base da torre e que possui restaurantes, lojas de omiyage, entre outros, o Observatório Principal a 150 metros e o Observatório Especial a 250 metros. Para subir até o Observatório Principal, paga-se ¥820, e mais ¥600 para o Observatório Especial.

Tokyo Tower vista por baixo

Tokyo Tower vista por baixo

Vista do Observatório Principal

Vista do Observatório Principal

Chão de vidro!

Chão de vidro!

Da Tokyo Tower, também é possível ver Odaiba e o Monte Fuji.

Odaiba ao fundo

Odaiba ao fundo

Cadê o Monte Fuji?

Cadê o Monte Fuji?

Prova de mestrado

De segunda-feira (24) até hoje (26) aconteceu a prova para ingresso no mestrado do Department of Creative Informatics da Graduate School of Information Science and Technology da Universidade de Tóquio.

Dia 24 de manhã teve a prova de programação, com 5 perguntas a serem respondidas em 2 horas e meia. Esse tempo foi suficiente para fazer a prova (que tratava de retângulos e clusters de retangulos), mas não o suficiente para ver se o resultado estava certo, o que permite que o candidato cometa muitos erros. No mesmo dia à tarde, teve a entrevista da prova de programação, na qual a banca (formada por três professores do departamento) perguntavam sobre o código que você escreveu: o que você pensou, como implementou, entre outros. A duração da entrevista é de 5 a 10 minutos, e ela acontece das 13h30 até umas 18h30, sendo que o horário exato depende do número de inscrição.

Dia 25 de manhã teve a prova específica, com 3 perguntas (escolhidas dentro de 4) a serem respondidas em 2 horas e meia. Como esperado, teve uma pergunta de algoritmos (grafos direcionados), uma de Computação Gráfica, uma de hardware (implementar somadores e multiplicadores a partir de portas lógicas AND, OR e NOT) e a famosa pergunta do “dos 8 temas abaixo, escolha 4 e escreva de 4 a 8 linhas sobre isso”. Essa última pergunta tinha como alguns dos temas a normalização em bancos de dados relacionais, Máquinas de Turing, Teorema de Bayes, Unicode e aprendizado em ávores de decisão, entre as que eu consigo lembrar agora.

Por fim, dia 26 à tarde teve a entrevista. Ela dura de cinco a dez minutos, e na banca estão todos os professores do departamento. Eles fazem algumas perguntas como “Por que você está prestando a prova?”, “Fale sobre seu tema do TCC”, entre outros. Uma coisa ruim é que japoneses não mostram na expressão facial se você está bem ou mal.

Enfim, dia 7 de setembro às 15 horas sai o resultado.

Tamagawa Hanabi Taikai

Eu não poderia deixar de passar meu primeiro verão aqui no Japão sem ir em pelo menos um Hanabi Taikai. Então eu fui para o Tamagawa Hanabi Taikai (たまがわ花火大会), aqui em Setagaya-ku mesmo. Para chegar ao local, deve-se ir até Shibuya e de lá pegar a linha Toukyu Den-Entoshi (東急田園都市線) até a estação Futako-Tamagawa (二子玉川駅).

Chegando lá, dá para começar a ter uma idéia da bagunça que vai ser: a quantidade de gente é impressionante! O banheiro da estação estava com fila, a máquina de norikoshi também… Até a konbini estava com uma fila de virar quarteirão!

Antes dos fogos...

Antes dos fogos...

Passando o caos, conseguimos sentar em um espacinho no meio dos toldos estendidos no chão. Lembrança para os outros anos: levar um toldo e, por que não, um travesseiro! Afinal de contas, ficar sentado durante uma hora olhando para cima cansa!

Outra fica: levar comida e bebida para ficar mais tempo também! Os fogos começaram às 19 horas, e nós começamos a sair às 19h40 (20 minutos antes de terminar). Demoramos 20 minutos para chegar até a estação por causa do labirinto de toldos que virou o caminho até a saída, e ainda tivemos que esperar um trem para voltar! Mas claro, melhor que sair bem quando acaba, porque aí provavelmente teríamos que esperar uns 3 ou 4 trens lotados para virar sardinha até Shibuya!

Agora vamos para a parte boa: os fogos japoneses são incríveis! Muito mais bonitos que os do Brasil! Tinha até uns que formavam maçãs, bicicletas e Doraemons! Eu tirei algumas fotos, mas elas não ficaram muito boas… Os fogos com certeza são muito mais bonitos ao vivo, mas acho que dá para deixá-los passando vontade!

Fogos de artifício

Fogos de artifício

Mais fogos de artifício

Mais fogos de artifício