O processo seletivo – Segunda fase

No início de Julho você recebe o certificado de aceitação na primeira fase do processo seletivo. Agora é a hora de preencher os documentos que serão enviados para o Japão e de encontrar possíveis orientadores.

Quanto à documentação, se houver dúvidas, a melhor coisa é falar com o Consulado, que eles te ajudam de muito bom grado! Para o exame médico, é aconselhável ir ao Enkyo, na esquina da R. Galvão Bueno com a R. São Joaquim, no prédio do Bunkyo (entrada pela R. Galvão Bueno).

Agora, quanto aos orientadores existe uma pequena polêmica. Existem pessoas que dizem que é bom você tentar arranjar orientador antes de receber a aceitação da primeira fase, e existem pessoas que acham é melhor contatá-los só depois. A verdade é: você tem até o final de Agosto (ou seja, dois meses incluindo o tempo de eles mandarem a carta de aceitação da universidade por correio) para enviar toda a documentação para o Consulado. É muito pouco tempo, uma vez que você tem que conversar com o orientador – e claro, às vezes eles demoram para responder -, talvez com a sessão de alunos, etc.

A outra verdade é: antigamente você tinha necessariamente que ir para a entrevista com uma aceitação. Mas o Monbukagakusho mudou esse esquema porque muitos professores reclamavam que eles aceitavam um bolsista e esse bolsista não passava da primeira fase. Então se você mandar antes, é provável que você receba uma resposta mal educada e talvez até queime seu filme.

A real verdade é: Escolha você o que você achar melhor. O meu caso deve ser exceção, já que minha área é Computação, os professores respondem e-mail muito rapidamente e toda a troca de documentação foi feita via arquivos escaneados (a não ser a carta de aceitação original da universidade de lá que deve ser enviada por correio).

Se você conseguiu pelo menos um orientador e se sua faculdade não é particular, é quase certeza que você consegue a aceitação parcial em Dezembro ou Janeiro e a final em Fevereiro. Se for particular (como a Keio e a Waseda), não é impossível conseguir. Agora, se você não tiver orientador, aí complica! Após a aceitação parcial, o Monbukagakusho vai entrar em contato com a universidade falando que você foi aprovado, e a universidade vai entrar em contato com você perguntando sobre dormitório. Talvez você tenha que fazer inscrição, talvez eles façam automaticamente por você.

Dica: A cada aceitação que você conseguir, avise seu orientador! Quando sair a aceitação final, agradeça a todos os professores e outras pessoas que te deram atenção.

Depois da aceitação final, prepare-se para correr! Você já deve ter o passaporte em mãos. O Departamento Cultural do Consulado vai cuidar do visto japonês para você, mas o visto americano ou canadense (você pode escolher a rota) é por sua conta. Se você quiser aulas de japonês, deixe isso bem claro para a universidade e para seu orientador. Aliás, qualquer preocupação, fale com seu orientador e deixe claro o que você está pensando ou sentindo. Os japoneses não vão te perguntar se tudo está Ok. Enfim, a preparação para a viagem eu falo depois! Ah, e no começo de Março, o Consulado dará uma tarde de orientação para os bolsistas.

P.S.: O cônsul foi muito simpático conosco!

Anúncios

5 pensamentos sobre “O processo seletivo – Segunda fase

  1. Eu tenho duvidas quanto ao Orientador. Como sempre dizem que é os possíveis orientadores demoram um pouco pra responder, eu acho valido já ir buscando desde a fase da entrevista.
    Fora isso, como foi que você procurou seu orientador? Por que li que é melhor buscar aqueles que já orientam estrangeiros. Mas como encontra-los? Tem alguma dica?

    Estou lendo o Blog inteirinho xD
    Ainda estou em Abril de 2009, mas tudo bem rs

    • O MEXT e os consulados em geral não apoiam muito essa ideia, porque sem o certificado de aceitação do consulado, você teoricamente não é nem futuro bolsista ainda. Mas claro, eu conheço muitas pessoas que contataram o futuro orientador antes, e o máximo que aconteceu foi ele falar para contatar de novo quando recebesse esse certificado.

      Eu procurei orientador pelos sites da universidade, procurando professor de ponta da minha área de interesse. Uma boa ideia é procurar os nomes enquanto você estiver fazendo o plano de pesquisa, já que você estará lendo papers de professores cuja pesquisa é relevante para o seu futuro trabalho. E sim, é uma boa ideia procurar quem já orienta estrangeiro que eles estão mais acostumados (mas essa não é via de regra). Para encontra-los, é só ver os membros do laboratório no website (se tiver).

      • Nossa, e boa sorte para ler o blog inteiro… acho que eu escrevi bastante nesses últimos 3 anos! Bem, obrigado pela audiência de qualquer forma! =D

  2. Olá tenho uma dúvida sobre os orientadores, procurei no site da Universidade de Tóquio e não encontrei nada, qual site devo ir para encontrar possíveis orientadores na Universidade de Tóquio ?

    • Você tem que procurar no site de cada laboratório separadamente. Ou seja, dentro do site da universidade, ver a Graduate School que você se encaixa, em seguida os departamentos dentro da Graduate School e depois os laboratórios dentro do departamento. No site do laboratório, você pode ver os professores.

      Uma alternativa melhor é você procurar baseado na sua pesquisa ou projeto de pesquisa. Ou seja, veja se nas suas referências bibliográficas tem o nome de algum professor japonês, e então procurar o contato dessa pessoa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s